FRESTAS

Visões da cidade de Laguna-SC

1/13

1/5

1/6

O Fortim da Barra

Texto e Fotos por Bruno Mendes Espíndola

 

No bairro da Ponta da Barra em Laguna localiza-se um sitio histórico no Morro do Atalaia onde pode-se observar as ruínas do Fortim da Barra, que também foi conhecida como Forte de Laguna, Fortim do Atalaia ou ainda Fortaleza da Barra. Foi tombada pelo decreto nº28/82 em 27/12/1982. Tendo como proprietário a Prefeitura Municipal de Laguna. Não se sabe a data de construção, estima-se que foi por volta do final do século XVIII ou início do século XIX. Segundo Henrique Boiteux (1985), naquela época já existia um pequeno forte no local, "(...) do lado oposto à vila e fronteiro à barra, forte este construído a custa, pelo então Capitão-mór da Laguna, Jerônimo Francisco Coelho, para defesa daquele porto (...)". O Capitão-mór era o avô do Brigadeiro Jerônimo Franscisco Coelho fundador da imprensa catarinense. Na época, o sinuoso canal da barra passava muito próximo do forte, pois não existia o molhe sul e nem o aterro que desenvolveu o bairro, com a construção do molhe, o canal que ficava bem próximo do Forte foi deslocado cerca de 300 metros para o norte. Em 1992 as ruínas remanescentes da fortificação foram catalogadas como sitio arqueológico histórico pelo IPHAN numa área de 140m² localizada em propriedade privada e em situação de abandono. 

Foi na batalha de 15 de novembro de 1839 que os revolucionários ocuparam o local que era um ponto estratégico, nele instalaram suas artilharias para se defenderem na batalha  e usaram como depósito de munição, onde nesta, Anita Garibaldi mais uma vez demostrou seu valor guerreiro atravessando o Canal da Barra inúmeras vezes, levando num pequeno bote a remo munição e armamento, em pleno tiroteio, com a derrota das forças farroupilhas e ocupação das forças imperiais, posteriormente, o exercito imperial melhorou a construção danificada no combate e utilizou-o por muitos anos até desativá-lo nos fins do século XIX.

Hoje ainda resta a fundação do antigo forte da barra,  mas não existe nada para informar as pessoas sobre a localização deste bem tombado que talvez possa ser melhor divulgado para os turistas e moradores.

 

Bibliografia:

BOITEUX, Lucas Alexandre. A Marinha imperial na Revolução Farroupilha. Rio de Janeiro, Imp. Naval, 1935.


CABRAL, Osvaldo Rodrigues. História de Santa Catarina. Florianópolis, UFSC, 1968.


MARIATH, Frederico. “O Combate Naval da Laguna”, in Correio Mercantil. Rio de Janeiro, 29/11 e 2/12/1860.

 

RAU, Wolgang Ludwig. Vida e Morte de Anita Garibaldi. Florianópolis, Ed. do Autor, 1989.


SOUZA, Alcídio Mafra de Souza. Guia dos bens tombados,  Santa Catarina. Rio de Janeiro, Expressão e Cultura, 1992.

 

1/3

Richard Hugh Bente - A questão do espaço urbano e as discrepâncias das políticas urbanas.

1/1
Please reload

Capitalismo, a love story.

1/2
Please reload

© 2014 REVISTA CANTEIRO   |   DIREITOS RESERVADOS  |  AS INFORMAÇÕES SÃO DE RESPONSABILIDADE DOS AUTORES

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now